segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Vem depressa...

Vem depressa, meu amor! Estou à tua espera, no nosso quarto, a lareira já o aqueceu, tenho o vinho tinto de que gostas numa garrafa aberta, a cama só com os lençóis à vista.

Vem depressa, porque anseio por ti, por te foder, todo o dia o desejo de ti, a tesão, me tem consumido, o teu pau, este caralho que se vai enterrar em ti, até me dói, com tanta ânsia de estar em ti.

Vem depressa, meu amor, quero morder esses biquinhos duros e espetados, desafiadores, quero mamar as tuas maminhas redondas, lindas, tão bem feitas que elas são...

Vem depressa, meu amor, quero enterrar a minha boca nessa coninha linda, chupá-la até te vires uma e outra vez e engolir, de ti, todo o mel em que te desfazes...

Vem depressa, meu amor, não te demores, quero-te de quatro na cama, quero ver essas nalguinhas redondas a desafiarem-me e depois, ai, meu amor, vem depressa, por favor, depois quero enterrá-lo nessa coninha apertada, e nela foder com carinho, com tesão, até tu e eu nos virmos numa dança, eu vou ser o mar a desmaiar em cima de ti, tu vais ser a praia que me recebe e me abraças e me levas contigo para onde fores...

Vem depresaa, meu amor, enquanto te escrevo, toco-me, masturbo-me, esfrego o meu caralho com a mão direita, olha esta cabeça vermelha e inchada com a tesão, com o desejo de ti, escorre dela o mel inicial que costumas levar à boca, na ponta dos dedos...

Masturbo-me, toco uma punheta e evito esporrar-me, porque quero dar-te tudo, quero foder-te com toda a ansiedade, com tudo, com tudo...

Vem depressa, meu amor, não vejo a hora de chegares e de te abraçares a mim e de meteres a tua língua na minha boca para eu chupar, vem depressa, meu amor, vem depressa...

Há momentos únicos, e este que estou a viver e a escrever para ti, é um desses...

Marcas-me, tens-me, vem depressa, meu amor e vem foder-me até que a lareira se apague e os cobertores nos tapem... Não quero tomar banho depois, quero dormir assim contigo, com os nossos cheiros misturados, com aquilo que tiver que ser, com a minha esporra na tuas coxas, na tua cona, misturada com o mel que lá estava à espera de mim..

Vem depressa, meu amor, não sei estar mais tempo sem ti... Vem, sim? Não demores, minha T.

6 comentários:

Deliciosamente Atrevida disse...

Vai menina ele te espera ansiosamente...



E imagina o encontro...


Beijo Gde!

T disse...

E eu fui...fui e vim e fui e vim-me... :)
Meu querido S. foi tão bom estar contigo e tu estares em mim, porque nestas tuas vontades de mim é que eu sou eu. É quando me fodes desta forma que sou tua...inteiramente.

Infinitamente desejo-te, quero-te, e tenho-te :)

Fodo-te com alma!

Amo-te com eternidade.

intimidades disse...

maravilhoso

Beijos
Paula

S disse...

Desta vez fico sem palavras.
Somente te quero dizer que te amo e que sempre te hei-de amar.

E quero amar-te e estar em ti! Para sempre...

menina fê disse...

que declaração!!! vai correndo! rsrs

tô de volta.
bjs meus.

Zel disse...

Olá,

Demorou, mas o nosso Primeiro Vídeo foi publicado. Se gostarem, postaremos outros.

Calvin