terça-feira, 5 de maio de 2009

Preciso...

...dizer-te, ao ouvido, num sussurro, como te amo! Sei que não o sei dizer, mas tentarei. Talvez o consiga dizer sem palavras. Talvez o diga com os olhos. E pode ser que oiças no arrepio da minha pele ao contacto com a tua, o quanto te amo... Pode ser que vejas na minha mão à procura de ti, o como te amo! Direi com a minha boca, juntinho a ti, "Amo-te", mas é pouco dizer isso. É pouco dizer isso, mas sei que tu saberás encontrar em cada sopro de ar que se usa para dizer essa palavra, tudo o que ela leva de dentro de mim para ti. E dizer "Amo-te" então já não será pouco, porque tu lhe darás o tudo que ela encerra.
Basta que olhes para dentro dos meus olhos e verás tudo lá. Basta que pegues na minha mão e me leves contigo e tudo saberás. E então dir-te-ei "Amo-te", sabendo que ao dizê-lo tudo digo e tu tudo entendes.
Como um rio que não tem outro remédio senão desaguar no mar, o meu amor mistura-se em ti, deixa de ser só o meu amor por ti, para passar a ser outra coisa que ainda ninguém sabe dizer. Eu também não sei dizer, mas sei sentir.
Deixa-me dizer-te baixinho, ao ouvido, "Amo-te" e afinal ficaremos a saber que essa palavra é a que deve ser dita, porque com ela eu tudo digo, porque com ela tu tudo sabes!
E tudo sentimos!

12 comentários:

Carol disse...

Oiiie nossa que lindo, é otimo ouvir e dizer quando se sente o amor!
beijis

Bernardo Lupi disse...

Vá T, dá uma hipótese ao rapaz...

T disse...

Bernardo Lupi querido, eu até dava, mas ele sabe o que tem a fazer..é que não está mesmo fácil!!

beijinhos ;)

S. obrigada...lindissimo este post*

S disse...

Não tens nada que agradecer.

T disse...

"Dejaste el caballo y lumbre te di
y fueron tus ojos dos
luceros verdes de Mayo pa mi ..


Ojos verdes, verdes como la albahaca
verdes como el trigo verde
y al verde, verde limón
ojos verdes, verdes con brillo de faca
que se han clavaito en mi corazón
pa mi ya no hay soles, luceros ni luna
no hay mas que unos ojos que mi vida son
ojos verdes, verdes como la albahaca."

Concha Buika, in Ojos verdes

(esta mulher conhece-te de certeza...)

S disse...

Eu e ela somos unha com carne.

Eu trato-a por Conchita, ela trata-me por Éssezito...

:)

T disse...

Ai que ódio, quando me desfaço toda nessas tuas tontices!!:P

;)

S disse...

Fazes tu muito bem em te desfazeres toda nestas minhas tontices. É para isso que as digo, sou um espertalhão do quilé...

:)

Seline disse...

Lindo! Poesia em prosa...
Meus queridos... façam o favor de ser felizes e aproveitar cada instante deste amor que vos une!
Beijos aos dois

Simply Gay disse...

"Basta que olhes para dentro dos meus olhos e verás tudo lá."

"Como um rio que não tem outro remédio senão desaguar no mar, o meu amor mistura-se em ti"

Simplesmente lindo!!! Adorei estas tuas palavras digna de grandes poetas e pregadores! Se alguém me escrevesse algo assim, principalmente a segunda frase que seleccionei, aí sim... desfazia-me em tolices!!!
Para mim isto só mostra o amor que se quer "reconquistar"... Ninguém consegue escrever algo assim, neste mar de inspiração, se não estivesse verdadeiramente apaixonado!
Não me alargo mais, porque no vosso quarto, neste momento, devem estar só os dois, de porta fechada... e só saem depois de uma de dois fechos possíveis: Ou se zangam de vez, o que não acredito nem espero que aconteça, ou têm uma daquelas conversas puras de sentimento que culminam num abraço bem apertado, num beijo profundo e num momento de puro amor, onde os vossos dois corpos se tornam num só...

(porra... neste blog escrevo tanto pá! Desculpem... mas flui-me)

S disse...

Obrigado, Simply Gay.

Comoveste-me, porra!

T disse...

Seline minha querida, é muito mais complicado do que se imagina...mas estamos bem..bom..alias, eu estou bem.. não devemos forçar as coisas...quando não dá, não dá! :) Já te vou visitar!*

Simply és uma simpatia ;)
Amigo simply ;)podes escrever as linhas que quiseres, serás sempre muito bem-vindo, you know :)

beijinhos!