quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Volta depressa, meu amor...

Não me deixes ficar aqui neste deserto de lençol branco, onde fico como se fosse uma concha perdida num areal em dias de vento e de praias desertas...

Volta depressa para as minhas palavras, aconchega-te nos meus olhos, abre o teu corpo e deixa-me entrar nele e sermos nós outra vez. Vamos aprender a não saber onde começa um de nós e acaba o outro, vamos voltar a perguntar um ao outro "de quem é esta mão", ou "que boca é esta que me entontece...".

Volta depressa, deixa-me ver-te no duche, quando te ofereces aos meus olhos e brincas com o teu corpo para eu ver e eu morro em cada gesto teu, em cada suspiro teu...

Volta depressa e derrama sobre o nosso lençol as tuas pernas de pele morena e deixa-me beijá-las e sentir, delas, o calor e o perfume...

Volta depressa, meu amor, preciso de aprender a respirar outra vez, a rir e a amar-te...

Volta depressa, meu amor....

3 comentários:

Lalisca disse...

Coisa linda de se escrever.


beijos

T disse...

Todas as vezes em que me imaginares regressar olha bem para dentro de ti...eu não te deixarei nunca..*

1manview disse...

Beautiful escrever ...